Programa de Pós-Graduação em Neurociências

Arquivo da Categoria "Laboratórios"

Laboratório de Neurobiologia das Interações Celulares

Postado por neurociencias em 16/nov/2016 -

Responsável: Alexandre dos Santos Rodrigues
Endereço: Universidade Federal Fluminense – Campus do Valonguinho. Instituto de Biologia – Depto. de Neurobiologia. Laboratório de Neurobiologia das Interações Celulares (Sala 209). R. Mario Santos Braga, s/n Niterói – Rio de Janeiro – CEP: 24020-140
Telefone: (21) 2629-2327 / 2629-2271
E-mail: rodrigues.alex9@gmail.com
Histórico e Objetivos:
O laboratório foi fundado em 2015. O objetivo principal do laboratório é estudar a neuroquímica do Sistema Nervoso Central com foco principal nos sistemas de transportadores, mais especificamente nos Transportadores Equilibrativos de Nucleosídeos, na retina embrionária de galinha.
Linhas de Pesquisa:
  • Ontogênese da fosforilação da ERK em retinas de aves por ativação de receptores A1 e A2A de adenosina
  • Regulação multi-nível do ENT1: lipid rafts e microRNAs
Técnicas utilizadas: 
Culturas Primárias de Retina Embrionária de Galinha; Ensaios de Captação de neurotransmissores;  Imunocitoquímica; Western blot e Preparação de Sinaptossomas.
Equipe:
Mestrado: Sarah de Alencar Rodrigues
Iniciação Científica: Areane Zanluchi Carvalho, Bárbara Figueira Gomes, Isabelle de Oliveira (Bolsista Faperj)
Técnicos: Luzeli Ribeiro de Assis (Auxiliar de Laboratório)
Professores Colaboradores:
Roberto Paes de Carvalho (UFF), Marcelo Cossenza (UFF), Mariana Rodrigues Pereira (UFF), Karin da Costa Calaza (UFF), Pablo Pandolfo (UFF).

Laboratório de Sinalização Química do Sistema Nervoso

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Mariana Rodrigues Pereira
Endereço: Departamento de Neurobiologia, Instituto de Biologia
Telefone: 26292262
E-mail: rodriguespereira@gmail.com
Histórico e Objetivos:
O laboratório foi criado em 2010 e tem como objetivo estudar a sinalização química do sistema nervoso utilizando retinas de embrião de galinha.
Linha de Pesquisa:
Modulação da expressão dos receptores de adenosina: papel da IL-6 e do óxido nítrico.
Técnicas utilizadas:
Culturas de retinas de embrião de galinha, Western Blot, RT-PCR real time, Imunocitoquímica, Binding
Equipe:
Iniciação Científica: Eduarda Pires
Professores Colaboradores:
Dr. Roberto Paes de Carvalho (UFF)

Laboratório de Neurobiologia do Comportamento Animal

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Pablo Pandolfo
Endereço: Universidade Federal Fluminense, Centro de Estudos Gerais, Instituto de Biologia. Outeiro de São João Batista s/n. Campus Valonguinho
E-mail: pablopandolfo@gmail.com
Telefone: (21) 8136-3158 e (21) 2629-2327
Histórico e Objetivos: 
Investigar as consequências comportamentais e neuroquímicas da exposição a substâncias psicoativas. E estudar fatores que influenciam na sensibilidade a essas drogas, principalmente a adolescência e o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.
Linhas de pesquisa:
– Neuropsicofarmacologia comportamental
– Abuso de substâncias
– Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade
Técnicas utilizadas: Preferência condicionada ao lugar; campo aberto; labirinto em cruz elevado; caixa claro/escuro; teste da natação forçada e da suspensão pela cauda; escalada e estereotipia; labirintos para memória, atenção, flexibilidade comportamental e impulsividade; ambiente enriquecido; reconhecimento de objetos, auto-administração de substâncias.
Professores Colaboradores: Reinaldo N. Takahashi (Departamento de Farmacologia – UFSC), Diogo Onofre Gomes de Souza (Departamento de Bioquímica – UFRGS), Lisiane Porciúncula (Departamento de Bioquímica – UFRGS), Rodrigo A. Cunha (Centro de Neurociências/Coimbra – Portugal)

Laboratório de Oncologia Molecular

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Lidia Maria da Fonte de Amorim
Endereço: Outeiro São João batista sem no, Instituto de Biologia, Departamento de Biologia Celular e Molecular
E-mail: lidiauff@gmail.com
Telefone: 2629-2259
Histórico e Objetivos: 
O laboratório de Oncologia Molecular está localizado no 3º andar do Instituto de Biologia da UFF e foi fundado no ano de 2003. Nos trabalhos de pesquisa realizados procura-se entender melhor a resposta a quimioterapia buscando marcadores moleculares que possam prever a resposta ao tratamento quimioterápico. Alem disso, realiza-se a avaliação do potencial antitumoral de substâncias naturais ou sintéticas.
Linhas de pesquisa:
– Avaliação de Marcadores Moleculares de Resposta ao Tratamento de Tumores
– Avaliação do Potencial Antitumoral de Substâncias Naturais e Sintéticas
Técnicas utilizadas:
Culturas de células Tumorais e Não Tumorais, Determinação da Viabilidade Celular (por MTT, Vermelho Neutro e Exclusão do corante vital azul de tripan), PCR, PCR-Nested, real time PCR, Eletroforese de DNA (agarose e poliacrilamida), PCR-RFLP (Restriction length polymorphism), SSCP (Single Strand Conformation Polymorphism), Citometria de fluxo (avaliação de necrose, apoptose e ciclo celular), Microscopia de fluorescência (avaliação de necrose e apoptose)
Equipe:
Doutorado: Daniel Nascimento Lazaro da Silva, Maximino Alencar Bezerra Júnior
Mestrado: Elaine da Silva Castro, Jessica Nascimento
Iniciação Científica: Marcelle Bezerra (Ciencias Biológicas UFF)
Professores Colaboradores:
Clovis Orlando da Fonseca (HUAP – UFF), Francisco das Chagas Abreu da Silveira (IB – UFF), Izabel Christina de Palmer Paixão (IB – UFF), Jose Carlos Pelielo de Mattos (IB-UERJ), Georgina Severo ribeiro (HUAP – UFF), Patricia Burth (IB – UFF), Ricardo Augusto de Melo Reis (IB-UFRJ), Simone Lourenço (HUAP – UFF), Selma Paiva (IB-UFF), Thereza Fonseca Quirico-Santos (IB – UFF), Valeria Laneuvile Teixeira (IB – UFF)

Laboratório de Plasticidade Neural

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Claudio Alberto Serfaty
Endereço: Outeiro São João Batista, s/n – Centro – CEP: 24020-141. Instituto de Biologia – UFF – Cx Postal: 100180. Programa de Pós-Graduação em Neurociências – Depto Neurobiologia.
E-mail: claudio.serfaty@gmail.com
Telefone: 2629-2272
Histórico e Objetivos:
O Laboratório de Plasticidade Neural iniciou suas atividades em março de 1994. Desde sua inauguração vimos estudando os mecanismos de desenvolvimento de conexões centrais, com o objetivo de compreender a natureza das condições normais e patológicas do desenvolvimento neural. Os projetos em andamento têm, portanto, o objetivo de construir conhecimento acerca dos diversos mecanismos capazes de influenciar o desenvolvimento pós-natal do sistema nervoso central com impacto sobre os distúrbios do desenvolvimento, as deficiências mentais e doenças neurodegenerativas.O desenvolvimento dos circuitos sensoriais ocorre durante um período crítico onde a eliminação de sinapses inapropriadas e o remodelamento sináptico dá origem a mapas de representação da topográfica entre a retina e os núcleos visuais subcorticais. Estes mapas representam circuitos neurais que são refinados mantidos por meio de mecanismos que interferem com a estabilidade de sinapses e que envolvem classicamente atividade elétrica, sistemas de neurotransmissores, mensageiros retrógrados e diversos sistemas de sinalização intracelular resultante da atividade neural.Neste sentido estudamos o papel de nutrientes essenciais (aqueles que são dependentes exclusivamente da dieta), a modulação de vias de sinalização intracelular na estabilização de sinapses em desenvolvimento, as consequências do hipotireoidismo congênito e do consumo de álcool em fases precoces do desenvolvimento pós-natal de roedores (equivalente ao último trimestre de gestação) e os mecanismos que envolvem a ativação microglial em modelos de lesão do sistema visual.
Projetos de Pesquisa:
– Papel de ácidos graxos essenciais ômega-3 no desenvolvimento de conexões centrais: uma abordagem nutricional
– Papel do triptofano na modulação do sistema serotoninérgico: impacto no desenvolvimento, plasticidade uso-dependente e expressão de moléculas de matriz extracelular
– Modulação da atividade fosfatase na especificidade de conexões retinocoliculares
– Papel da microglia na plasticidade induzida por lesões do sistema visual
– Álcool, desenvolvimento e plasticidade uso-dependente no sistema visual
– Hipotireoidismo e o desenvolvimento de conexões visuais
Técnicas utilizadas:
Técnicas neuroanatômicas: uso de traçadores neuroanatômicos, Implantes intracerebrais de polímeros para liberação lenta (Elvax 40W), Técnicas de lesão seletiva do sistema visual, Técnicas histoquímicas, Técnicas imunocitoquímcas (Imunofluorescência), Western Blot, Zimografia
Equipe:
Doutorado: Patrica Coelho de Velasco, Rachel Antonioli Santos, Éricka González, Wandilson dos Santos R. Jr, Bruna Lanzilota de Matos
Mestrado: Luana da Silva Chagas
Iniciação Científica: Grasiele Freitas, Louise Azulay Palavecino
Técnicos: Maria Leite – auxiliar de laboratório, Maria da Conceição Paiva Silva – técnico de laboratório
Colaboradores:
Pablo Trindade – UFF, Priscilla Oliveira Silva – UFF, Paula Campello Costa – UFF, Adriana da Cunha Faria Melibeu – UFF, Ronald Marques dos Santos – UFF, Rubem C.A. Guedes – UFPE, Belmira Lara da Silveira Andrade da Costa – UFPE., Juliana Carrazone Borba -UFPE

Laboratório de Neuroquímica

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Ana Lúcia Marques Ventura
Endereço: Departamento de Neurobiologia, Instituto de Biologia sala 206, Universidade Federal Fluminense – Centro – Niterói- CEP 24020-141- RJ.
E-mail: almv@vm.uff.br
Telefone: 26292-274
Histórico e Objetivos: 
Temos estudado nos últimos anos a diferenciação de neurônios centrais utilizando a retina de embrião de pinto como modelo experimental. Nosso objetivo é compreender como estas células diferenciam suas propriedades receptivas e de que maneira são regulados o aparecimento e a manutenção da atividade funcional de receptores específicos. Temos estudado principalmente os receptores de dopamina e de ATP. Nestes sistemas, temos tentado compreender os mecanismos que controlam a sensibilidade celular a estes neurotransmissores, seus efeitos no desenvolvimento da retina e seus mecanismos de transdução. Temos dado especial atenção aos receptores P2 de nucleotídeos neste tecido, investigando a ativação de MAP cinases, da Akt e a proliferação celular induzida por agonistas específicos de ATP. Temos estudado também a expressão e regulação de fatores que aceleram ou inibem o ciclo mitótico em células de retina cultivadas. Recentemente, iniciamos a caracterização do efeito de nucleotídeos sobre a morte celular em células de retina em cultura. Nosso grupo também tem mantido colaboração com outros grupos, da UFRJ principalmente, caracterizando a ativação de MAP cinases por receptores P2X7 em populações de macrófagos e caracterizando a proliferação celular induzida por receptores P2 de ATP.
Linhas de Pesquisa:
– Receptores de neurotransmissores e vias de transdução de sinais durante o desenvolvimento da retina
– Proliferação celular na retina embrionária de galinha
– Morte celular na retina embrionária de galinha
Técnicas utilizadas: 
Cultura primária de neurônios e células gliaisde retina; Dosagem de receptores de membrana (“binding”); Dosagem de cálcio e ATP; Incorporação de [3H]-timidina e imunocitoquímica para BrDu; Microscopia confocal para localização de proteínas celulares; Western blotting para detecção de expressão e ativação de proteínas; Determinação de apoptose por fragmentação de DNA, MTT e caspase3 clivada; Captação e Liberação de substâncias neuroativas;
Equipe:
Pós-Doutorado: Isis Moraes Ornelas
Doutorado: Erick Correia Loiola, Thayane Martins Silva, Mariana Siqueira Oliveira, Flavia Jesus Jacques,
Iniciação Científica: Roberta Amaral (Faperj), Gustavo Henrique C. Guimarães (CNPq), Mariana Souza (UFF), Thiago Trindade da Silva (UERJ)
Técnicos: Maria Leite Eduardo, Sarah Rodrigues
Professores Colaboradores:
Dr. Pedro Persechini– colaborador (IBCCF- UFRJ), Dr. Ricardo Augusto de Melo Reis – colaborador (IBCCF-UFRJ), Dra. LucianneFragelMadeira (Depto de Neurobiologia –UFF)

Laboratório de Neuroplasticidade

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Paula Campello-Costa
Endereço: Outeiro São João Batista, s/n – Centro – CEP: 24020-141. Instituto de Biologia – UFF – Cx Postal: 100180. Programa de Pós-Graduação em Neurociências – Depto Neurobiologia
E-mail: paula.campello@pq.cnpq.br
Telefone: 26292267
Histórico e Objetivos: 
O Laboratório tem, nos últimos anos, se interessado em estudar os mecanismos celulares e moleculares relacionados a plasticidade no sistema nervoso central. Utilizamos diversos modelos de estudo. Dentre eles, o sistema visual de roedores é usado como modelo experimental para compreendermos os mecanismos envolvidos na formação de conexões neuronais durante o desenvolvimento normal e após lesão seletivas da retina ou enucleação monocular. Atualmente estudamos o papel funcional de neuromoduladores como a adenosina e o óxido nítrico, bem como os sistemas de neurotransmissores e moléculas de sinalização sináptica na formação de especificidade de conexões centrais e na plasticidade destas conexões in vivo. Além disso, avaliamos a influência de diversas citocinas e da inflamação ao longo do desenvolvimento da via visual. Com o objetivo de avaliarmos a plasticidade em condições patológicas, investigamos também os mecanismos moleculares relacionados a reorganização de vias centrais em animais modelos de doenças degenerativas (modelo de Parkinson) e transtornos de humor (modelo de Ansiedade).
Linhas de Pesquisa:
– Caracterização Neuroquímica de Doenças que acometem o Sistema Nervoso
– Investigação bioquímica das interações moleculares que medeiam a reorganização anatômica observada no desenvolvimento e na plasticidade do sistema visual
Técnicas utilizadas:
Utilizamos nos sub-projetos ratos da linhagem Lister Hooded, ratos Wistar ou camundongos C57Bl6, Técnicas de neuro-cirurgia experimental (implante subpial de ELVAX, injeções intravítreas e intra-cerebrais de fármacos), Utilização de traçadores neuroanatômicos, Técnicas histoquímicas (Nissl, vermelho neutro, peroxidase), Congelamento e Criotomia do Tecido Nervoso, Análise em Microscopia Óptica, Técnicas imunocitoquímicas, Técnicas bioquímicas, ELISA, Dissecção do Colículo Superior, Hipocampo, Estriado (estudo in vitro), Dosagem de AMPc, Western blot, Binding para Receptores de Adenosina
Equipe:
Doutorado: Michele Barboza de Carvalho, Vanessa Gama Goulart, Grasielle Duarte Menezes, Fernanda Brito Vieira Coutinho
Mestrado: Adrienne Dias Campos, Bruna Teixeira Silva, Maria Carolina Peixoto Rodrigues
Iniciação Científica: Sofia Latge Tovar Costa
Técnico: Maria Leite (Auxiliar de Laboratório), Arnaldo de Sá Geraldo– Bioterista, Fabio Otero Ascoli – Médico Veterinário – UFF

 

Professores Colaboradores:
Claudio A. Serfaty, Prof. Associado III – Prog. Neurociências – UFF; Ana Lúcia Tavares-Gomes, Profa. Adjunto I – Depto. Neurobiologia – UFF; Adriana C. Faria-Melibeu, Profa. Adjunto IV – Prog. Neurociências – UFF; Priscilla Oliveira Silva, Profa. Adjunto II – Prog. Neurociências – UFF; Lucianne Fragel Madeira, Profa. Adjunto II – Prog. Neurociências – UFF; Prof Alfred Sholl-Franco, do IBCCF -UFRJ; Profa Fernanda Guarino de Felice, do IBqM -UFRJ; Profa Hilda Petrs Silva, do IBCCF -UFRJ; Prof Jesus Landeira-Fernandez, da PUC-RJ; Dr Nilson Nunes Tavares – IBCCF – UFRJ; Prof Sérgio T. Ferreira, do IBqM-UFRJ.

 

Pesquisadores Colaboradores:
Wandilson Rodrigues Jr – pos-doc UERJ. Henrique da Rocha Mendonça, Prof Adjunto – UFRJ – Macaé, Sheila Espírito-Santo Araújo – pos-doc UFRJ

Laboratório de Neurofisiologia do Comportamento (LABNEC)

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsáveis: Profa Letícia de Oliveira, Profa Mirtes Garcia Pereira, Profa Isabel Antunes David e Profa Izabela Mocaiber.
Endereço: Departamento de Fisiologia e Farmacologia. Instituto Biomédico | Universidade Federal Fluminense. R: Hernani Pires de Mello, 101. São Domingos, Niterói – RJ – Brasil Cep: 24.210-130
E-mail: ldol@vm.uff.br (Letícia de Oliveira)
Telefone:  (21)2629-2446
Acesse aqui o site do LABNEC.
Histórico e Objetivos:  
O Laboratório de Neurofisiologia do Comportamento (LABNEC), localizado no Instituto Biomédico da Universidade Federal Fluminense, foi criado no final da década de 90 pelo Prof. Walter Machado Pinheiro, hoje professor do Pólo Universitário de Rio das Ostras (PURO-UFF). Atualmente, é coordenado pelas professoras Letícia de Oliveira, Mirtes Garcia Pereira e Isabel Antunes David do Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFF. O laboratório conta com a colaboração de pesquisadores de outros centros nacionais e internacionais. Os projetos desenvolvidos no LABNEC integram pesquisadores de diferentes setores tais como neurofisiologia comportamental, engenharia biomédica e da área clínica com o propósito comum de compreender como a atenção, a emoção e interação entre eles, modulam o comportamento.
Linhas de pesquisa:
– Interação entre atenção e emoção e seus efeitos sobre o comportamento
– Regulação da Emoção: efeitos sobre o comportamento e a reatividade cerebral
– Impacto da visualização de imagens de violência urbana: um estudo da cascata defensiva em humanos
– Aspectos psicofisiológicos do comportamento alimentar.
Técnicas utilizadas:
O laboratório possui equipamentos para registro de respostas comportamentais (tempo de reação manual), eletroencefalográfica, eletromiográfica, cardíaca, respiratória e de condutância da pele. Além disso, possui uma colaboração com o setor de Radiologia do Hospital Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro, possibilitando a realização de experimentos de Ressonância Magnética Funcional neste local.
Equipe:
Doutorado: Rita de Cássia Soares, Orlando Fernandes Jr., Isabel V. de Paula Lobo.
Mestrado: Laura Krutman Rezende
Iniciação Científica: Jéssica Rocha de Andrade, Jéssica Sanches Braga Figueira
Professores Colaboradores:
Profa Eliane Volchan/ Instituto de Biofísica/ UFRJ, Profa Claudia Domingues Vargas/ Instituto de Biofísica/ UFRJ, Profa Fátima Smith Erthal/ Instituto de Biofísica/ UFRJ, Prof. Walter Machado Pinheiro/ Pólo Universitário de Rio da Ostras/ UFF

Laboratório de Neurofarmacologia

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Regina Célia Cussa Kubrusly
Endereço: Instituto Biomédico, 2º andar, sala 213
Email: Kubrusly@vm.uff.br
Telefone: 2629- 2409
Histórico e Objetivos:
O laboratório foi criado no ano de 2004, com o objetivo de estudar a organização morfo-funcional do sistema nervoso central de aves e mamíferos, e as alterações neuroquímicas embrionárias e adultas resultantes do uso de drogas psicoativas.
Linhas de Pesquisa:
1 – As interações de diferentes neurotransmissores e neuromoduladores presentes na retina, embrionária e adulta de aves e mamíferos, investigando as modificações morfológicas e funcionais encontradas no sistema visual destes animais, mediante a inibição da síntese de catecolaminas ao longo do desenvolvimento.
2 – As alterações neuroquimícas embrionárias e adultas resultantes da adição induzida por drogas psicoestimulantes usadas durante o desenvolvimento do sistema nervoso central.
Técnicas utilizadas: Dissecção e Isolamento de áreas do SNC de roedores, Captação e liberação de neurotransmissores, “Binding” de receptores de membrana, Gavage de ratos e camundongos, Separação de proteínas em SDS PAGE e imunoblot, Dosagem dos níveis de AMPc, Técnicas comportamentais (Medida de andiedade, Atividade Locomotora, Impulsividade, Condicionamento por medo ou por abuso de drogas), Cultura de células primárias de tecido nervoso central ( retina, córtex, striatum, Hipocampo)
Equipe:
Doutorado: Matheus Sathler, Adriana de Freitas, Danielle Ferreira
Mestrado: Isis Grgorio, Mauricio Pereira
Iniciação Científica: Clarice Figueiredo, Gabriel Gripp, Gabriela Gomes, Mariana Carvalho
Professores Colaboradores:
Dr Alex Manhaes (UERJ), Dra Ana Lucia marques Ventura (UFF), Dr. Claudio Carneiro ( UERJ), Dra Edna Nanami Yamasaki ( Nicosia University- Chipre), Dra Elizabeth Giestal de Araújo (UFF), Dr Egberto Gaspar de Moura (UERJ), Dr. Fernando Garcia de Mello (IBCCF-UFRJ), Dr. Jesus Landeira-Fernadez( PUC), Dra Patiricia Lisboa ( UERJ), Dr Pradeep G. Bhide (Harvard Medical School-Boston, EUA), Dr. Roberto Paes de Carvalho (UFF), Dra Yael Abre-Villaça ( UERJ).

Laboratório de Neurobiologia do Desenvolvimento

Postado por neurociencias em 18/out/2016 -

Responsável: Profa Adriana da Cunha Faria Melibeu
Endereço: Departamento de Neurobiologia Sala 201, Instituto de Biologia. Universidade Federal Fluminense.Outeiro São João Batista s/n, sala 201. Campus Valonguinho – Centro – Niterói – RJ.
Tel: +5521-26292267 Fax: +5521-26292327
E-mail: acfmelibeu@id.uff.br; acfmelibeu@gmail.com
Histórico e Objetivos: 
Nosso grupo possui duas linhas de pesquisa focadas no estudo do papel fisiológico de proteínas e circuitos afetados por duas das principais doenças neurodegenerativas – Mal de Alzheimer (AD) e Doença de Parkinson (PD). A primeira tem como objetivo avaliar a expressão e modulação da proteína precursora amilóide no colículo superior de roedores em diferentes condições experimentais, como na plasticidade induzida por enucleação monocular e, após diferentes tratamentos farmacológicos, dentro e fora do período crítico com o intuito de estabelecer correlações entre os eventos que permeiam o desenvolvimento e a plasticidade sináptica e a expressão da APP e de seus metabólitos no sistema visual. A segunda visa compreender as alterações dopaminérgicas e colinérgicas que ocorrem durante o curso da PD, através de analises anatômicas, moleculares e comportamentais em modelo de lesão por injeção de 6-hidroxidopamina (6-OHDA).
Linhas de Pesquisa:
1) Modulação do processamento da proteína precursora amiloide (APP) no sistema visual de roedores durante o desenvolvimento e na plasticidade induzida.
Projetos:
– Expressão da proteína precursora do amilóide no colículo superior de ratos submetidos à enucleação monocular
– Papel da administração de nicotina na expressão da APP no colículo superior de ratos. –
– Influência da Modulação Serotoninérgica na Expressão e Processamento da APP no Colículo Superior de Ratos em Desenvolvimento e em Modelo de Plasticidade Induzida
2) Avaliação temporal das alterações neuroquímicas em animais modelo da Doença de Parkinson
Projeto: Avaliação Temporal das Alterações Dopaminérgicas e Colinérgicas em Modelo da Doença de Parkinson
Técnicas Utilizadas: 
Técnicas neuroanatômicas (utilização de traçadores neuroanatômicos), Tratamento Local com Implante de Elvax, Técnicas histoquímicas, Imunohistoquímica e Imunofluorescência, Western blot, Coimunoprecipitação, Cultura de células, Neurocirurgia estereotáxica
Equipe:
Doutorado: Juliana Ferreira Vasques (CAPES-REUNI) e Renata Guedes de Jesus Gonçalves (CAPES-REUNI)
Mestrado: Ana Carolina de Moraes Neves Fernandes (CAPES)
Iniciação Cientifica: Alessandra Carvalho Nogueira (bolsista – CNPq), Luciana Magalhães Leo (bolsista FAPERJ)
Técnico: Maria da Conceição Paiva Silva (Química), Maria Leite (Auxiliar de Laboratório), Arnaldo de Sá Geraldo– Bioterista, Fabio Otero Ascoli – Médico Veterinário – UFF
Professores Colaboradores:
Claudio A. Serfaty, Prof. Associado III – Prog. Neurociências – UFF; Profa Paula Campello Costa, Prof Associado II – UFF; ProfaPriscilla Oliveira Silva, Profa. Adjunto II – Prog. Neurociências – UFF; LucianneFragel Madeira, Profa. Adjunto II – Prog. Neurociências – UFF; Prof Alfred Sholl-Franco, do IBCCF -UFRJ; Dr Nilson Nunes Tavares – IBCCF – UFRJ; Prof Ricardo Reis – UFRJ; Prof Manuel Gustavo Leitão Ribeiro ( UFF).

Translate »